Municípios paraibanos já podem utilizar CoronaVac para vacinar crianças acima de 6 anos, diz Saúde

Os municípios paraibanos que dispõem de estoque da CoronaVac/Butantan já podem aplicar a vacina no grupo de crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 17 anos de idade, desde que não sejam imunossuprimidos – pessoas com baixa imunidade, que têm mal funcionamento do sistema imunobiológico e ficam mais susceptíveis a infecções.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou Nota Técnica (nº 02, de 24 de janeiro/22) orientando a população e profissionais de saúde quanto ao uso da vacina CoronaVac, tendo em vista a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no último dia 20.

Com isso, serão ofertadas duas vacinas diferentes contra a covid-19 para o público de crianças na Paraíba, sendo a CoronaVac em crianças de 6 a 11 anos (com funções imunológicas íntegras) e a vacina Pfizer Pediátrica para crianças a partir de 5 anos a 11 anos, incluindo as imunossuprimidas.

“Considerando que a vacina CoronaVac, a partir desse momento, poderá ser ofertada a toda população, a partir de 6 anos, os municípios que já dispõem de estoque da vacina, em suas salas de vacina, já devem iniciar a vacinação, desde que tenham atenção quanto à respectiva quantidade de doses para a segunda dose ( D2) dos esquemas já abertos”, explicou a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga.

A expectativa é vacinar em todo estado 390 mil crianças, com idade entre 5 e 11 anos. Para isso, a SES continua empenhando todos os esforços na realização de capacitações para os profissionais de saúde dos municípios.

Mais doses pediátricas – Nesta quarta-feira (26), a SES começa a distribuição para os 223 municípios de mais 34.100 doses de vacina Pfizer para crianças de 5 a 11 anos, que chegaram à Paraíba nesta terça-feira (25). Até agora, a SES já distribuiu 47.200 doses para os municípios, sendo um quantitativo de 23.600 nas duas primeiras remessas.

Tecnologias das vacinas
CoronaVac/Butantan – A vacina do Butantan utiliza a tecnologia de vírus inativado (morto), uma técnica consolidada há anos e amplamente estudada. Ao ser injetado no organismo, esse vírus não é capaz de causar doença, mas induz uma resposta imunológica. O intervalo entre as doses é de 28 dias

Pfizer Pediátrica – A vacina da Pfizer para uso em crianças é uma tecnologia inédita feita com RNA mensageiro, uma molécula que temos dentro da maioria das nossas células. Elas produzem, a partir daí, as proteínas, a base de tudo: sangue, hormônios, ossos, anticorpos etc. A ideia de usar a engenharia do RNA mensageiro é vista como uma revolução na medicina.

Ela apresenta dosagem e composição diferentes do imunizante utilizado para maiores de 12 anos. A formulação da vacina para uso pediátrico é de duas doses de 0,2 mL (equivalente a 10 microgramas), com esquema de, pelo menos, oito semanas de intervalo entre as doses.

Fonte: paraiba.com.br

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

“Usa a polícia para fazer política”, diz presidente da ALPB sobre o comportamento do deputado Cabo Gilberto

ter jan 25 , 2022
Presidente da ALPB, o deputado Adriano Galdino (foto) enxerga como tentativa de politização rasteira as atitudes do deputado Cabo Gilberto (PSL), que estaria incitando movimentos divisionistas dentro da Polícia Militar para gerar atropelos nas negociações do governo com a categoria, no que diz respeito a reajustes salariais. “O governador está […]

Instale o Radiosnet em seu celular. Nova opção para ouvir nossa rádio